Reprodução: Alto Astral

6 mitos e verdades sobre sexo na gravidez!

Momento especial na vida de algumas mulheres, a gestação vem acompanhada de mudanças, transformações e dúvidas.

Assim, diante da notícia de uma gravidez e dentre todas as questões que passam a fazer parte da rotina do casal, é bastante comum que os questionamentos relacionados às práticas sexuais durante o período acabem ficando de lado. Além disso, é fato que muitos também se sentem constrangidos em buscar informações mais precisas sobre sexo na gravidez, evitando até mesmos conversas com os ginecologistas.

Contudo, como consequência da desinformação, algumas pessoas podem vir a ter pensamentos equivocados sobre o ato, prejudicando, assim, não só a saúde da mulher , mas também sua vida sexual e do casal como um todo.

A ginecologista e obstetra Evelyn Prete comenta que, dentro do mundo da maternidade, é muito comum algumas perguntas virem à tona, especialmente em mães de primeira viagem. No entanto, o tema ainda é um tabu. “É um assunto que ainda não é tratado livremente e com a devida importância que deveria ter”, ela afirma.

Dessa forma, considerando as principais dúvidas relacionadas a sexo durante a gravidez, confira abaixo os 6 maiores mitos e verdades sobre o assunto!

1 – O sexo pode machucar o bebê: MITO!

“O bebê está dentro do útero, que é um músculo altamente resistente, e dentro da bolsa amniótica, preenchida pelo líquido amniótico, que absorve impactos e também funciona como proteção para o feto”, explica Prete. Assim, a médica esclarece que durante a relação sexual o bebê não é alcançado e, portanto, não sente qualquer desconforto.

No entanto, o ginecologista Henrique Abrão observa: “O sexo na gestação é seguro desde que não haja nenhum fator de risco para trabalho de parto prematuro ou cervicodilatação precoce”.

2 – O ato sexual pode ajudar a mãe a entrar em trabalho de parto quando ela já estiver nas últimas semanas de gestação: VERDADE!

O sexo no final da gestação é recomendado como forma de indução de trabalho de parto natural, pois no ato sexual há liberação do hormônio ocitocina, que estimula as contrações uterinas. “Além de ajudar antes do parto, o sexo, sendo uma atividade leve ou moderada, também pode auxiliar a mulher na hora de dar à luz, pois proporciona a melhora do condicionamento fisíco e da massa muscular”, esclarece a obstetra.

3 – O sexo estimula o trabalho de parto prematuro: MITO!

“Em uma gestante sem comorbidades ou riscos para trabalho de parto prematuro a relação sexual não tem esse efeito”, afirma Abrão.

Você viu?

Prete ainda explica que mesmo havendo a liberação de ocitocina no ato, seus níveis são baixos e, consequentemente, insuficientes para estimular um trabalho de parto prematuro. “Essa é uma situação totalmente diferente de quando a mãe está nas últimas semanas de gestação e, por isso, já existe uma série de outros fatores ocorrendo para estimular o trabalho de parto”, ela completa.

Vale lembrar que, no que diz respeito ao parto, são causas como o descolamento da placenta e a ruptura prematura da bolsa amniótica que podem causar a antecipação do nascimento do bebê, e não o ato sexual.

4 – O sexo não pode ser realizado se a gestante tem placenta prévia: VERDADE!

De forma rápida, Abrão explica que placenta prévia “se trata da placenta se posicionar parcialmente ou totalmente no orifício interno do colo uterino, podendo causar sangramento vivo e risco para a gestante e ao feto”. Portanto, nesses casos, a relação sexual deve ser evitada durante todo o período da gravidez.

Assim, o sexo durante a gestação é permitido livremente a condição da gestante não ter nenhum fator de risco ou contraindicações do (a) obstetra responsável. Logo, é importante mencionar que dentre as patologias obstétricas que impedem o ato sexual estão: “dilatação precoce do colo uterino, trabalho de parto prematuro (ou risco de), placenta prévia, sangramento vaginal importante, entre outras condições”, como pondera o médico.

5 – Não se pode usar lubrificante durante a gravidez: MITO!

Não existe nenhuma restrição quanto ao uso de lubrificantes durante a gestação, de acordo com Evelyn Prete. “Porém, opte sempre por lubrificantes que tenham como base a água, pois estes possuem uma formulação mais suave e que agride menos o organismo, ou os lubrificantes que sejam naturais, como o óleo de coco e a vaselina”, ela ressalta.

6 – Sexo faz bem pra saúde da gestante: VERDADE!

“O sexo também é saúde e traz benefícios surpreendentes para a vida da mulher. Pode ajudar no relaxamento dos músculos pélvicos e na liberação de hormônios que diminuem o estresse”, afirma Prete. Além disso, o sexo é uma ótima maneira de manter a autoestima elevada e aprimorar a conexão entre o casal nesse momento tão especial.

Abrão ainda complementa afirmando: “É importante a gestante ter uma vida normal e manter suas atividades durante a gestação. A relação sexual faz parte ativamente da saúde física e mental da mulher e deve sim ser mantida”.

Mas atenção: sempre siga as orientações do seu médica ou médica para entender se existe alguma situação em deve ser recomendada a restrição da prática sexual. “Sempre que tiver dúvidas sobre o sexo na gravidez e se é seguro ou não para você, se consulte com seu ou sua obstetra e esclareça todas as questões pertinentes”, finaliza Prete.

Fontes : Evelyn Prete, ginecologista e obstetra, com especialização em Medicina Fetal em andamento; Henrique Abrão, ginecologista e obstetra da Clínica Medicina da Mulher e Reprodução Humana.





Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here