Com investimento de R$ 109 mil da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec), o Complexo Cultural de Planaltina (CCP) ganhou vestimenta cênica, fechando, assim, a caixa preta do palco. O isolamento da área de atuação dos artistas, com cortina de boca de cena, pernas e rotunda (de fundo de palco), era uma necessidade do equipamento cultural, que foi inaugurado em 2018 sem essa previsão técnica.

Além das melhorias no teatro, o CCP recebeu uma ação estética de grafite em uma das suas fachadas, por meio do edital Planaltina, Arte Urbana | Foto: Divulgação/Secec

A aquisição da vestimenta cênica proporciona ao espaço qualidade técnica e estética. Antes, as dependências do palco, como camarins e coxias, estavam expostas ao campo de visão do espectador. Com o isolamento, a organização interna dos artistas, como entradas e saídas de atores, cenário e objetos de cena, é feita sem exposição visual.

“A cortina de boca de cena garante a abertura e o encerramento dos espetáculos, proporcionando a privacidade aos artistas, além de garantir a preservação de cenários e de equipamentos expostos no palco antes da atividade”, comemora o gerente do CCP, Júnior Ribeiro.

“Caminhando para o terceiro ano de funcionamento, em outubro, o CCP é hoje um equipamento central em Planaltina. Esse investimento faz parte das melhorias de capacitação do espaço”, Bartolomeu Rodrigues, secretário de Cultura e Economia Criativa

A rotunda, cortina de fundo, permitiu também o isolamento da porta de metal, já que o CCP tem palco que pode ser utilizado também virado para a área externa. O que melhorou ainda o isolamento acústico.

“Caminhando para o terceiro ano de funcionamento, em outubro, o CCP é hoje um equipamento central em Planaltina. Esse investimento faz parte das melhorias de capacitação do espaço”, aponta o secretário de Cultura e Economia Criativa, Bartolomeu Rodrigues.

Em plena atividade

Uma das últimas intervenções feitas no CCP foi o edital Planaltina, Arte Urbana, uma ação estética de grafite em uma das suas fachadas, o que possibilitou que artistas urbanos retratassem as influências culturais e históricas da cidade em 250 metros quadrados de parede do Complexo. Essa atividade tem sido base para mediação cultural com escolas da região, além de ter se tornado um ponto de visitação turística na cidade.

“O espaço encontra-se fechado por conta da pandemia, mas em pleno funcionamento, pois estamos sediando projetos do FAC Ocupação, alterados para o formato on-line. O CCP entrará em processo gradual de retorno presencial assim que as condições de segurança de saúde nos permitam receber o público”, projeta Júnior Ribeiro.

Neste momento, o CCP abriga três projetos: Dois Mundos. da Cia Lumiato, inspirado na colonização da América; Kalo, o Filho do Vento, da Cia Os Buritis, sobre a rota cigana entre Índia e Espanha, e Malandrag, musical inspirado em A Ópera do Malandro, de Chico Buarque.

*Com informações da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec)





Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here