O 23° Fórum de Governadores da Amazônia Legal foi marcada pelo lançamento do Plano de Recuperação Verde (PRV). Realizado por meio de videoconferência, nesta sexta-feira, 16, a reunião contou com a participação do governador Gladson Cameli e dos demais gestores dos estados, que integram a região.

Reunião contou com a participação do governador Gladson Cameli e dos demais gestores dos estados, que integram a região Fotos: Diego Gurgel/Secom

O plano consiste em uma estratégia de transição para uma economia verde na Amazônia, que tem como principal objetivo a redução da desigualdade social, baseado na geração de emprego e renda, e o crescimento econômico sustentável. De iniciativa do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia Legal, o PRV conta com a colaboração de entidades nacionais e internacionais, organizações da sociedade civil e comunidades locais.

Formada por nove unidades da federação, a Amazônia Legal ocupa mais da metade do território brasileiro, possui 80% da cobertura vegetal nativa preservada e é habitada por 29,3 milhões de habitantes. Entre os pontos levantados pelo plano está o fim do desmatamento ilegal até 2030; combate às desigualdades de renda, raça, gênero e de acesso a serviços e infraestrutura básica; geração de empregos na floresta, áreas rurais e centros urbanos; e transição para uma nova economia verde com maior sofisticação tecnológica e potencial exportador.

“O lançamento do PRV é um momento histórico, porque posiciona a Amazônia para a comunidade brasileira e internacional. Isso demonstra que os estados amazônicos estão unidos e têm propostas no enfrentamento aos problemas, que são comuns entre nós. Acredito muito no sucesso do plano e, com muito trabalho, vamos alcançar as metas estabelecidas”, pontuou o governador do Amapá, Waldez Góes.

Em sua fala, o governador acreano destacou a necessidade de buscar alternativas econômicas sustentáveis para o desenvolvimento da Amazônia, principalmente, para a sua população. “Quase 30 milhões de brasileiros moram aqui, essas pessoas precisam de emprego e renda para quem possam ter uma vida de qualidade. Somos defensores do meio ambiente, mas também precisamos encontrar soluções para o crescimento da nossa região, assim como ocorrer em outros lugares do país”, enfatizou.

O governador acreano destacou a necessidade de buscar alternativas econômicas sustentáveis para o desenvolvimento da Amazônia, principalmente, para a sua população Fotos: Diego Gurgel/Secom

Na mesma reunião, os governadores aproveitaram para discutir a estratégia de participação do Consórcio da Amazônia Legal na Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 26), que será realizada em novembro, no Reino Unido, e da COP da Biodiversidade, programa para outubro, na China. Os eventos são considerados os mais importantes na discussão de questões climáticas, contando com a participação dos principais líderes mundiais.



Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here