O Mercosul e a União Europeia iniciam os preparativos para o livre comércio nos próximos anos, começando pela importação de veículos.

Um dos pontos é um acordo comercial onde a tarifa atual de 35% será cortada imediatamente pela metade e depois gradualmente extinta.

Isso vai permitir que as montadoras importem carros europeus sem imposto de importação, como nos moldes do acordo comercial com o México e também o que envolve os países-membros do Mercosul.

Mercosul e União Europeia detalham fim de tarifa para importados

VEJA TAMBÉM:

Pelo acordo, que deve se estender ao longo de 15 anos, o Brasil e países do bloco sul-americano. A regra reduz para 17,5% o imposto de importação, que será limitado em 50.000 unidades por ano, sendo 32.000 para nosso mercado.

Desse lote anual, serão importados todos os tipos de veículo, mas com capacidade de até seis passageiros para carros a gasolina. Nesse caso, SUVs ou minivans de sete lugares não serão contemplados, exceto se os motores tiverem mais de 3.0 litros.

Já os carros a diesel precisam ter motores acima de 2.5 litros, não importando a capacidade. Pelo que dá para notar, apenas os SUVs grandes parecem se beneficiar nesse caso.

A nova regra de 17,5% ainda terá de ser colocada diante dos fabricantes de veículos, dada a cota de 32.000 unidades anuais. Já em relação à duração dessa alíquota, ela segue até 2027.

Mercosul e União Europeia detalham fim de tarifa para importados

A partir de 2028, ela será reduzida para 14,18% nesse ano, caindo para 10,83% em 2029 e 7,51% em 2030. Daí em diante, o imposto de importação será de 6,5%, 5,0%, 3,75%, 2,5%, 2,17% e zero, respectivamente em 2031, 2032, 2033, 2034, 2035 e 2036.

Essa redução para 17,5% só valerá a partir de 1 de janeiro de 2022 e deverá beneficiar os importadores de carros europeus, notadamente do segmento de luxo. Contudo, tudo só será aplicável quando o acordo for assinado pelos dois blocos.

Por aqui, o Brasil insistiu em baixar o imposto de importação de forma unilateral em relação ao Mercosul, gerando desgaste com a Argentina, que se posicionou contra. A ideia era reduzir para 20% a tarifa para carros da Europa.

Se nenhum fator político – e existem… – atrapalhar as conversas até a dada limite para assinatura, os carros europeus ficarão mais baratos a partir de 2022.

AUTOMOTIVO



Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here