Estado com maior mobilização, Paraná premia participantes do projeto Pátria Voluntária

outras

Entidades e pessoas paranaenses que mais se destacaram no projeto Amigos do Pátria Voluntária, promovido pelo governo federal para estimular o voluntariado em todo o País, tiveram seu trabalho reconhecido pelo Governo do Estado. Após o adiamento da cerimônia por causa da pandemia, o governador Carlos Massa Ratinho Junior e a primeira-dama Luciana Saito Massa, que preside o Conselho de Ação Solidária, entregaram nesta segunda-feira (23) os certificados e placas a 15 pessoas e três instituições com o maior número de horas dedicadas ao serviço voluntário.

A iniciativa do Ministério da Cidadania e da primeira-dama Michele Bolsonaro ocorreu ao longo de fevereiro de 2019, com a participação de 14 estados em uma espécie de gincana da solidariedade. O Paraná contabilizou 31 mil horas de atividades de voluntariado, feitas por organizações da sociedade civil, do setor público, empresarial ou por pessoas físicas.

Para se ter ideia, isso equivale a 1.291 dias corridos de trabalhos voluntários, que consolidaram o Paraná como o principal participante da ação. No prêmio Pátria Voluntária, entregue posteriormente pelo presidente Jair Bolsonaro e pela primeira-dama, o Estado foi o grande destaque. Além da primeira colocação geral, teve nove dos dez voluntários premiados e entre as cinco instituições com a maior mobilização, três eram paranaenses.

RECONHECIMENTO – No Paraná, a premiação acontece na semana em que se comemora o Dia Nacional do Voluntariado, celebrado em 28 de agosto. “É um singelo reconhecimento ao trabalho e dedicação das entidades e voluntários que participaram desse programa, que o governo federal lançou junto aos estados. O Paraná, que tem um povo com vocação solidária, que está em nosso DNA, se destacou”, disse o governador.

“Mais do que nunca, o ato do voluntariado nos leva à reflexão da sociedade que queremos. A pandemia nos cobrou muito isso e fez muitas pessoas que ainda não tinham esse hábito se tornarem voluntárias e praticar a solidariedade”, destacou o governador.

“Já se passaram dois anos daquela mobilização e agora é uma alegria estarmos reunidos novamente pela causa do voluntariado”, salientou a primeira-dama Luciana Saito Massa. “A gincana do Pátria Voluntária foi feita com muita emoção, envolvimento e aprendizado. Depois de toda essa turbulência da pandemia, só tenho a agradecer a cada pessoa que participou e que se dedica diariamente a essa causa. O Paraná se tornou o Estado mais solidário do País”, afirmou.

PREMIAÇÃO ESTADUAL – A premiação paranaense segue as mesmas regras da nacional. Ela contempla os três voluntários de cada instituição que mais tiveram horas de atividade exercida e comprovada por meio do Portal Pátria Voluntária. Da mesma forma, também premia as três entidades que receberam mais horas comprovadas de trabalho voluntário.

Primeiro colocado no Prêmio Pátria Voluntária do governo federal, o Complexo Hospitalar do Trabalhador somou 11.304 horas de trabalho voluntário no período, o equivalente a 471 dias. Agora, a instituição é reconhecida também pelo Governo do Estado.

“Cerca de 200 voluntários se organizaram para as atividades em todas as áreas do hospital e fizeram uma série de ações voltadas ao bem-estar dos nossos pacientes e de seus familiares”, explicou diretor-superintendente do complexo, Geci Labres de Souza Júnior. “É um orgulho para a nossa instituição, porque temos pessoas muito engajadas e comprometidas. Com a pandemia, elas tiveram que se distanciar das atividades, mas um evento como este gratifica novamente o papel importante que executam”, disse.

As outras duas entidades premiadas nesta segunda-feira também se destacaram nacionalmente, conquistando a segunda e a terceira posição, respectivamente. Os voluntários da Liga Paranaense de Combate ao Câncer (Hospital Erasto Gaertner) exerceram 8.848 horas de atividades, e os do Pequeno Cotolengo do Paraná cumpriram 6.804 horas de voluntariado.

Os 365 voluntários da Liga Paranaense não deixaram seu trabalho mesmo durante a pandemia, quando passaram a desenvolver as atividades de forma remota. “Eles mantêm a missão e o cumprimento do nosso propósito nas nove unidades do Erasto Gaertner”, contou a Angela Zanlorenzi, presidente da Rede Feminina de Combate ao Câncer, do Erasto. “Durante a gincana, trouxemos a sociedade para as atividades, pessoas externas à instituição, e houve um movimento muito bonito e produtivo”.

“O Pátria Voluntária foi a oportunidade que tivemos como instituição para mostrar a força do voluntariado em Curitiba. Temos uma grande participação de voluntários na instituição”, disse o diretor-presidente do Pequeno Cotolengo, padre Renaldo Lopes. “Naquele momento, 700 pessoas participaram das ações. Com a pandemia ficamos um pouco restritos, mas retomamos o serviço com o voluntariado em maio deste ano, com 200 pessoas atuando de forma direta ou indireta na instituição.

Voluntário há oito anos e meio no Pequeno Cotolengo, Humberto Tozin dedica todos os seus dias, de segunda a segunda, para ajudar no bazar da instituição. Mesmo que ao longo de todo esse período ele tenha faltado apenas cinco dias, ficou surpreso ao ser premiado como a pessoa que mais dedicou seu tempo ao voluntariado no Brasil.

“Eu já frequentava o bazar do Pequeno Cotolengo antes de virar voluntário. Eu tinha uma empresa e via a dificuldade deles em separar e valorizar aquele material, então comecei a ajudar. Acabei gostando, parei com a empresa e passei a ajudar”, contou. “Eu gosto de trabalhar e fazer o bem ao próximo, não consigo parar. Mas não esperava ser premiado, foi uma emoção muito grande”, disse.

FLORESCE PARANÁ – Para marcar o Dia Nacional do Voluntariado, a Superintendência Geral de Ação Solidária promoverá na sexta-feira (27) uma ação, batizada Floresce Paraná, em parceria com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Sustentável e do Turismo e o Instituto Água e Terra (IAT).

Mudas de árvores nativas serão distribuídas, no período da manhã, nos 21 escritórios regionais do IAT e na sede, na Rua Engenheiros Rebouças, 1206, no bairro Rebouças, em Curitiba. Qualquer pessoa, mesmo quem não faça trabalhos voluntários, poderá buscar a sua muda.

“O Floresce Paraná vem simbolizar o florescer do nosso Estado na economia, saúde, meio ambiente, social e em todos as áreas, e só com a sua ajuda e comprometimento vamos colher os bons frutos das nossas ações”, afirmou Luciana.

Além disso, na quarta-feira (25), acontece o Prêmio Ação Solidária, que tem o objetivo de reconhecer as instituições que se reinventaram e promoveram atividades solidárias e voluntárias durante a pandemia de Covid-19.

Confira os homenageados pelo Prêmio Pátria Voluntária no Paraná

Entidades

Complexo Hospitalar do Trabalhador: Geci Labres de Souza Junior

Liga Paranaense de Combate ao Câncer: Angela Zanlorenzi

Pequeno Cotolengo do Paraná Dom Orione: padre Renaldo Lopes

Voluntários

Pequeno Cotolengo

Humberto Tozin, Matheus Chaves, Joelmir Adílson

Complexo Hospitalar do Trabalhador

Lucia Karpowisch, Isabel Tofanelli, Lindamir Aparecida Langner

Liga Paranaense de Combate ao Câncer

Ana Sílvia, Rosália Jacomel, Ilvani Paiva

Serviço de Voluntários do Hospital de Clinicas

Renê Manoel Virgínio da Cruz, Sérgio Duarte, Mariliz Candida (em memória)

APACN – Apoio à Criança com Câncer

Zeni Lopes, Vilmari Silveira, Elicléia Bachmann

Fonte: Agência Estadual de Notícias

- Advertisement -spot_img

More articles

últimas notícias