Mais de R$ 320,5 milhões são investidos em 15 viadutos no DF – Agência Brasília

0
29


Investir na mobilidade urbana do Distrito Federal para que as pessoas gastem menos tempo no trânsito e tenham mais qualidade de vida é um dos objetivos da atual gestão do governo. A redução de engarrafamentos em pontos estratégicos e a melhoria do trânsito têm ocorrido por meio da construção de viadutos em vários pontos da cidade. No momento, existem 15 elevados em construção ou em fase de licitação, com investimentos na ordem de R$ 320,5 milhões e capacidade para beneficiar mais de 222 mil pessoas.

“A Epig será totalmente remodelada. Com isso, esperamos reduzir em pelo menos 25 minutos o tempo de deslocamento do Sol Nascente ao Eixo Monumental” Luciano Carvalho, secretário de Obras

A lista de viadutos inclui nove elevados na reformulação da Estrada Parque Indústrias Gráficas (Epig). Desses, já estão em construção um na altura do Sudoeste, dois na Estrada Setor Policial Militar (ESPM), um no Recanto das Emas, um em Sobradinho, um no Jardim Botânico e um entre o Itapoã e o Paranoá.

Os viadutos da reformulação da Epig estão em um pacote de R$ 160 milhões, recursos que preveem, além dessas estruturas, a implantação de faixa exclusiva para ônibus no sistema BRT, estações BRT, passagens para pedestres e ciclovias. Embora esteja localizado na Epig, o viaduto do Sudoeste está fora desse pacote.

“A via Epig será totalmente remodelada”, afirma o secretário de Obras, Luciano Carvalho. “Com isso, esperamos reduzir em pelo menos 25 minutos o tempo de deslocamento do Sol Nascente ao Eixo Monumental.”

Acompanhe, abaixo o histórico dessas obras.

Viaduto do Itapoã/Paranoá

Itapoã e Paranoá: quando concluído, viaduto vai aliviar o trânsito na região | Foto Lúcio Bernardo Júnior/Agência Brasília

O GDF está investindo R$ 33 milhões na obra, com a previsão de gerar 400 empregos e beneficiar 30 mil moradores que passam diariamente pelo entroncamento das rodovias DF-001 e DF-15. Serão erguidos dois viadutos com alças de acessos e novas faixas de rolamento, acostamentos, além de ciclovias e ciclofaixas e barreiras de contenção de concreto.

Também será feita a adequação da geometria das rodovias e das sinalizações horizontal e vertical e a recuperação de todo pavimento já existente. Com a obra, será eliminado o balão que hoje trava a mobilidade entre as duas rodovias.

Atualmente, os trabalhos estão em fase de sondagem, quando os técnicos avaliam o tipo de terreno. A previsão é que os serviços sejam finalizados em 12 meses. “Somando com a população do Paranoá e do Itapoã, o horário de pico ficou pior”, avalia o diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem do DF (DER), Fauzi Nacfur Júnior. “Vamos passar uma estrada por baixo e a outra por cima, eliminando o cruzamento”.

O administrador do Paranoá, Sérgio Damasceno, comemora a obra. “Sou do Corpo de Bombeiros e atendi muitos casos de acidentes com morte naquela rodovia”, conta. “O viaduto resolve essa questão”.

Viaduto da ESPM

“A novidade é que o pavimento para a circulação dos ônibus será todo em material rígido, com maior durabilidade”Ricardo Terenzi, subsecretário de Acompanhamento e Fiscalização de Obras

Com entrega prevista para o primeiro semestre de 2022, os viadutos da Estrada Setor Policial Militar (ESPM) começam a ganhar forma com o avanço da fundação e da escavação. Já são mais de 35% dos serviços concluídos. O investimento será de R$ 8 milhões.

Atualmente, as obras concentram-se na montagem das fôrmas das vigas baldrames de um dos viadutos. Paralelamente, operários da empresa contratada trabalham na impermeabilização das vigas baldrames do outro viaduto. A obra gera 122 empregos diretos e 400 indiretos.

Obras para construção do viaduto da ESPM | Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília

A ESPM será reformada para compor o chamado Corredor Eixo Oeste. A obra, dividida em duas partes por questões de logística e segurança, teve início pelo trecho localizado entre o Quartel do Comando Geral da Polícia Militar e o Terminal da Asa Sul (TAS), onde estão sendo construídos dois viadutos.

Um dos viadutos será erguido na alça de acesso da ESPM ao Eixo W, conhecido como “eixinho de cima”. Terá 8 m de altura, 33 m de comprimento e 19 m de largura. O outro, situado na alça de acesso ao ERL, sentido L4, terá 29 m de comprimento, 15 m de largura e altura aproximada de 8 m. Juntos, esses viadutos vão beneficiar mais de 20 mil motoristas que trafegam no local diariamente.

“Os novos viadutos vão desafogar o trânsito na região, minimizando os engarrafamentos e os transtornos enfrentados diariamente pelos motoristas que trafegam por ali, especialmente nos horários de pico”, explica o subsecretário de Acompanhamento e Fiscalização de Obras da Secretaria de Obras, Ricardo Terenzi. “A novidade é que o pavimento para a circulação dos ônibus será todo em material rígido [concreto], com maior durabilidade.”

Viaduto do Recanto das Emas

E as melhorias viárias seguem no Distrito Federal. Outro elevado está sendo construído no Recanto das Emas. Já em fase adiantada – concluída em mais de 40% –, a obra se encontra na etapa de concretagem da laje. Após isso, será dada continuidade à escavação do túnel. O elevado fica no entroncamento do Recanto das Emas com o Riacho Fundo II. O viaduto vai facilitar o trânsito em uma região por onde circulam diariamente cerca de 60 mil veículos. Orçada em R$ 30,9 milhões, essa obra está gerando 400 empregos.

Viaduto do Sudoeste

Quem sair do Parque da Cidade rumo ao Sudoeste poderá acessar uma pista subterrânea, evitando passar por semáforos

Outra obra está em fase inicial na intersecção da Estrada Parque do Setor de Indústrias Gráficas (Epig) com o Sudoeste e o Parque da Cidade. De acordo com Ricardo Terenzi, já começou a drenagem do local, e em seguida terá início a escavação. Com investimentos de R$ 24,6 milhões – recursos da Caixa Econômica –, a obra gera 130 empregos diretos e 450 indiretos. “O viaduto tem como objetivo acabar com o engarrafamento da Epig com o Sudoeste e o Parque da Cidade, por onde passam em média 22 mil veículos por dia”, explica Ricardo Terenzi.

O viaduto vai integrar o Corredor Eixo Oeste, exclusivo para o BRT, que fará a ligação do Sol Nascente com o Plano Piloto, avenida Hélio Prates, Epia e a ESPM, que leva ao terminal da Asa Sul. O objetivo é reduzir o tempo de deslocamento até o Plano Piloto.

No momento, máquinas e operários trabalham na construção dos desvios de trânsito a serem implementados. A próxima etapa é o início da escavação do terreno onde serão construídos os pilares do viaduto.

Os trevos na Epig serão feitos em trincheiras, ou seja, de forma subterrânea. Com a mudança, quem sair do Parque da Cidade em direção ao Sudoeste não terá mais de passar por semáforos e retornos, podendo seguir direto para a avenida das Jaqueiras, passando sob a Epig. A obra também permitirá sair do Sudoeste, na altura da avenida, pegar a Epig no sentido Plano Piloto e vice-versa, sem a necessidade de retorno.

“O viaduto da Epig é parte do Plano Diretor de Transporte Urbano e Mobilidade do DF, que, além de desafogar o trânsito para os moradores da região do Sudoeste e da Octogonal, vai beneficiar milhares de pessoas que se deslocam diariamente de outras regiões administrativas para a região central de Brasília”, aponta a administradora do Sudoeste/Octogonal, Walkiria Garcia de Freitas. “Além disso, o comércio de nossa região também será bastante beneficiado, pois a maioria desses trabalhadores mora nas regiões vizinhas e faz o uso dessas vias do Corredor Eixo Oeste. Isso gerará uma maior qualidade de vida e uma diminuição no tempo de deslocamento de todos.”

Em licitação

Viaduto do Jardim Botânico será construído na altura do balão da Esaf | Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

Estão em fase de licitação os viadutos de Sobradinho e do Jardim Botânico. O de Sobradinho está orçado em R$ 34 milhões, recursos originários de emendas parlamentares. O elevado será erguido no acesso à cidade pela BR-020, próximo à quadra 2, beneficiando 50 mil condutores que passam diariamente pelo local. A obra está na fase licitatória.

O Jardim Botânico também ganhará um viaduto para desafogar o trânsito na região. O elevado será nas proximidades do balão da Escola de Administração Fazendária (Esaf). O investimento estimado para a obra é de R$ 30 milhões. Além do viaduto, será feita a duplicação da DF-001, nas proximidades. Moradores do Paranoá, Lago Sul, Mangueiral e São Sebastião também serão beneficiados. Por essa região, segundo o DER, circulam diariamente cerca de 40 mil veículos. A obra já tem autorização do Brasília Ambiental.

 



Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here